Você sabia que cada segundo que a grafica ribeirão preto tira de seu site de comércio eletrônico aumenta sua conversão em 2% (860 milhões em 43 bilhões de dólares por ano)? Estudos mostram que um atraso de apenas 0,5 segundo resulta em 26% na frustração do usuário e uma queda de 8% no engajamento. Vamos encarar; sites lentos afetam a intenção de compra e a confiança do usuário.

Os poucos sortudos têm o luxo de conexões 4G LTE ultrarrápidas, mas a maior parte do mundo ainda depende de velocidades de rede 3G (<15 Mbps). Precisamos começar a projetar para velocidades de internet realistas. Bem-vindo ao mundo do design de desempenho.

Desempenho mensurável x percebido

Existem dois métodos para lidar com o desempenho da grafica ribeirao preto: (1) reduzir os tempos de espera mensuráveis ​​(reais) vs. (2) criar a ilusão de tempos de espera mais curtos.

Podemos aprender muito sobre o poder do desempenho percebido com uma história sobre um antigo prédio de Nova York, onde os inquilinos reclamaram do tempo de espera “excessivo” do elevador. O gerente da gráfica ribeirão preto não conseguiu desenvolver uma solução viável para reduzir os tempos de espera (desempenho mensurável).

Após alguma deliberação, um de seus funcionários surgiu com a solução engenhosa de instalar espelhos para aliviar o tédio da espera. Apesar de não haver melhorias no desempenho mensurável, todas as reclamações desapareceram!

O aeroporto de Houston teve um problema semelhante devido a reclamações sobre tempos de espera excessivos na área de retirada de bagagens. Apesar de contratar mais funcionários para aumentar o desempenho mensurável, as reclamações existiam. Semelhante ao cenário do elevador, as pessoas ficavam chateadas com o tempo desocupado e o tédio, em vez do verdadeiro desempenho.

Sua solução engenhosa foi afastar os portões de desembarque da esteira de bagagens, de modo que as pessoas tivessem que caminhar mais, eliminando todo o tempo desocupado e as reclamações.

Essas histórias não têm o objetivo de diminuir a importância do desempenho mensurável, mas sim alertar que às vezes a raiz do problema é comportamental.

Ao avaliar qual desempenho melhorar, considere o contexto do caso de uso. Às vezes, o desempenho percebido é mais importante do que o desempenho real “sob o capô” medido em milissegundos.

Melhorar o desempenho percebido

Telas de esqueleto

Ao carregar uma nova página em vez de usar spinners, opte por telas de esqueleto. Os usuários esperarão um mapeamento 1: 1 entre a tela do esqueleto e o conteúdo, uma vez que seja carregado. Isso é conhecido como o princípio do mapeamento natural.

O conteúdo do esqueleto (renderizado como blocos) deve ser substituído pelo conteúdo real (imagens, texto etc.) conforme a página carrega. O conteúdo do esqueleto deve estar na mesma posição e ter dimensões semelhantes ao conteúdo real depois de carregado.

Quando há uma incompatibilidade entre o esqueleto e o conteúdo real, a página vai “sacudir” enquanto se esforça para se reorganizar. Isso cria a impressão de que a página da grafica em ribeirao preto não está bem construída e reduz a confiança do usuário.

Transições de página instantâneas como essa reduzem a percepção de espera durante o movimento. Os melhores estados de esqueleto implementam uma animação de “brilho” baixa da esquerda para a direita nos blocos de espaço reservado para reforçar esse princípio.

Para saber mais sobre telas de esqueleto, recomendo a leitura do guia de Bill Chung (que inclui descobertas de pesquisas interessantes e testes de usuários).

Uma descoberta interessante de um antigo teste AB que executei: quando os usuários móveis encontram carregadores “nativos” (carregadores padrão em seu sistema operacional), eles tendem a culpar seu dispositivo em vez do aplicativo ou site.

grafica ribeirão preto, grafica ribeirao preto, gráfica ribeirão preto, grafica em ribeirao preto, cartão de visita ribeirão preto

Animações suaves

A animação deficiente em uma interface também prejudica o desempenho percebido. Animações que não são bem projetadas, são muito complexas e não se movem conforme o esperado impõem custos de interação mental (MIC) mais elevados ao usuário.

As animações devem ser suaves e renderizadas a 60 fps, o que é necessário para eliminar a percepção de gagueira. Isso é ainda mais crítico em animações que respondem à ação de um usuário; mesmo um ligeiro atraso entre o toque e a resposta torna a experiência “lenta”. Quando aplicável, use a rolagem baseada em momentum (rolagem suave que imita os movimentos reais dos dedos) em vez de rolagem falsa (rolagem não natural com paradas abruptas).

Protip: Para alcançar animações de 60fps, aproveite as transformações CSS aceleradas usando um processador gráfico de hardware, como posição (translação), escala, rotação, etc. Para iniciantes, escrevi uma introdução ao design de movimento da IU aqui. Para mais designers técnicos (que podem codificar), procure construir aplicativos da web progressivos (que armazenam partes da interface em cache) com modelos de cartão de visita ribeirão preto e service workers.

Engano benevolente e a ilusão do trabalho

Existem alguns cenários únicos em que você deseja inserir uma barra de progresso artificial ou carregador para inspirar confiança nas ações do usuário. Essa prática é conhecida como “decepção benevolente”, em que os produtos inserem um carregador falso para o benefício do usuário.

Os humanos tendem a ter uma heurística natural em que rápido = simples ou barato, e vale a pena esperar por coisas boas.

Por exemplo, o TurboTax cria uma animação estática do carregador falso depois que o usuário envia suas informações fiscais para “verificar novamente seu retorno para cada redução de impostos possível …” O carregador falso ajuda a construir a confiança dos usuários no produto que eles acabaram de confiar suas informações financeiras.

Outras vezes, essa técnica cria entusiasmo e instila um sentimento de realização. Na versão móvel do jogo de tabuleiro Ticket to Ride, as pontuações finais são computadas uma de cada vez, com as pontuações do usuário registradas por último.

Uma rápida revelação das pontuações finais mataria a experiência. Em vez disso, você obtém um final emocionante e culminante para um jogo no qual investiu uma boa parte do seu tempo jogando. Considere que a dopamina é liberada em antecipação à recompensa (ao invés de quando a recompensa é dada). A dopamina não tem a ver com prazer; é sobre a antecipação do prazer.

O carregador “falso” ou a animação excessiva é uma prática comum de design conhecida como “ilusão de trabalho”. Estudos mostram que os usuários confiam e valorizam resultados importantes (por exemplo, declarações de impostos) mais depois de esperar por eles (mesmo que os resultados possam ser calculados instantaneamente).

grafica ribeirão preto, grafica ribeirao preto, gráfica ribeirão preto, grafica em ribeirao preto, cartão de visita ribeirão preto

Truques de ritmo

Existem várias técnicas interessantes para melhorar a percepção dos carregadores. Para barras de progresso, a implementação de “nervuras gradientes” que se movem para trás (enquanto a barra avança) reduz nossa percepção do tempo de espera.

Outro truque para reduzir os tempos de espera percebidos para carregadores lineares determinados é acelerar o progresso próximo ao fim. Você já se sentiu frustrado quando uma barra de progresso é de 99 por cento, mas o último 1 por cento leva uma eternidade para ser concluído?

Os usuários tendem a perdoar mais as pausas e os tempos de espera prolongados no início de uma barra de progresso. Em contraste, quando há pausas perto do final das barras de progresso, isso se torna mais evidente e frustra os usuários se concentrarem nisso.

Para carregadores de círculo indeterminado, aumentar o número de pulsações ou revoluções também reduz a percepção dos tempos de espera. Quando uma barra de progresso pulsa, ela atua como um metrônomo contando o “tempo” do tempo de progresso.

Em conclusão, embora projetar experiências de carregamento rápido e reduzir os tempos de espera seja uma boa prática, é essencial considerar quando faz sentido melhorar o desempenho percebido (ou seja, telas de esqueleto, animações suaves e truques de ritmo) em relação ao desempenho medido.

Em alguns cenários, a raiz do problema não é o tempo real de carregamento, mas sim o comportamento de espera do usuário. Outras vezes, a experiência do produto pode se beneficiar da “ilusão do trabalho” e do engano benevolente. Cabe a nós, como designers, considerar a situação e fazer o que é melhor para nossos usuários.